9º Simpósio de Governança, Manutenção e Recepção Hoteleira

O Simpósio de Governança, Manutenção e Recepção Hoteleira este ano, atrelado ao tema do 31º Encatho&Exprotel, Pessoas&Tecnologia, abordou assuntos inovadores na operação.

O painel iniciou com o Sr. Bruno Rodrigues, Turismólogo carioca que falou sobre a Modelagem do perfil do gestor hoteleiro contemporâneo, uma abordagem prática fruto de sua experiência e estudo na área de liderança operacional.

 

Para Bruno, o empreendimento depende da sua gestão atual, muitas vezes uma decisão errada que toma hoje, destrói teu futuro, tem que ter cuidado com quem colocar na sua frente.  Acredita ainda que empresa tem que ter um bom líder, no qual, tem que praticar empatia, estar junto com sua equipe, falando “juntos conseguimos”, quando for preciso estar do lado da equipe, usando autoridade, mas sempre com respeito.

O palestrante acredita que, o bom líder, precisa ter senso de justiça, assim, ganha a confiança da sua equipe. Tem que ser referência, afinal estamos num século, que devemos compartilhar, envolver nossa equipe no sistema e se não envolver minha equipe, acaba não fazendo parte do todo, sendo assim, gestão deve compreender o lado humano, praticar a empatia.

“Pratiquem empatia, fazem o negocio acontecer, não sejam líder kinder ovo, cada dia uma surpresa, sejam lidem que contagiam, que levem cada dia uma mensagem nova para empresa de vocês”, conclui Bruno.

Na sequência, ampliando a visão sobre a necessidade de integração dos setores, Paulo Correa  do Il Campanário Resort, falou sobre “A importância da integração dos setores de manutenção e governança no meio de hospedagem”, apresentou através da sua vivência e experiência nos setores gerenciais e manutenção, o papel de cada setor e principalmente formas de integrar para que a operação flua de forma assertiva com foco na qualidade do atendimento e no ambiente de trabalho.

Paulo Correa começou a palestra contando que no final do ano, completa 11 anos no Il Campanário Resort e tudo aquilo que começou lá, os seus princípios, as formas de pensar e planejar, teve que se adequar os termos de hoje, “tive que buscar o conhecimento, me atualizar, as mudanças são cada vez mais rápidas e mais desafiadoras, ou se atualiza e se adequa, ou ficamos pra traz”,  conclui Paulo.

Palestrante acredita que quem tem muita disposição para aprender, mas pouco conhecimento, podem se tornarem pessoas eficientes, pois são pessoas que tem vontade, ética, e é mais fácil de formar um bom profissional na empresa, quando não tem muito conhecimento, mas muita vontade de aprender.

Na parte da tarde, a abordagem trouxe conceitos de profissionalização dos setores operacionais, com o objetivo de replicar conhecimentos sobre Programas de Qualidade, Certificações e qualificação dos processos como forma de atingir a excelência na operação. Assim, o Painel: Qualidade nos processos internos dos meios de hospedagens, trará as profissionais: Cris Kallmann, Consultora do Grupo Diretiva (Quality Management Systems Lead Auditor (ISSO 9001), questionou e justificou o porquê de se implantar qualidade na hotelaria, focando nos benefícios que a implantação ocasiona.

Já a Dra. Teresinha Covas Lisboa, Pós-doutorada em Administração pela Florida Christian University e Membro do Grupo de Excelência em Hotelaria,  abordou os aspectos legais das práticas de governança, trazendo como comparativos, a legislação sobre a governança em ambientes hospitalares e como aliar tudo isso nas práticas em meios de hospedagens.

Finalizando o painel, Carla Trindade, Consultora na área de governança em meios de hospedagens, apresentou cases reais, focando nos desafios e nas formas de vencer cada um, objetivando a busca da excelência dos serviços.

Carla contou que os hospedes estão cada vez mais exigentes, e para conseguir qualidade para os hospedes, tem que ter governança, manutenção, e se não tem operação adequada, vai ter problema. “Tem que ter processo. Quando sai informação incompleta, acontece um monte de erros, temos que ter processos definidos, pois padronizar os processos nos traz seguranças para atingir o resultado necessário” conclui a palestrante.

Vantagens de se ter processos padronizados:

– Segurança para o gestor,

– Planejamento eficiente para o volume de hospedagens,

– Controle sobre a previsão de custos, tarifa de diárias mais assertivas;

– Equipe prepara (todos os setores) para demanda do período/evento;

– Antecipação de resolução de problemas futuros;

– Garantia de longevidade da empresa (financeira e operacional)

O Simpósio chegou em sua 9ª edição, objetivando ampliar o conhecimento dos profissionais dos setores operacionais, assim como, trazendo a integração entre líderes, coordenadores e gestores, no intuito de colaborar para o crescimento e o desenvolvimento da hotelaria.

patrocinadores do Encatho & Exprotel 2018